sábado, 31 de julho de 2010

Para a turma que gosta de postar videos e garantir seus 15 minutos de fama...

YouTube agora aceita vídeos de 15 minutos
Por Antonio Siqueira









A linguagem audiovisual é um das mais utilizadas na web, é talvez a que foi mais popularizada e modificada pela internet – talvez para se tornar a linguagem mais importante da década que começa. Boa parte de tudo que postamos aqui no bombou é vídeos, por exemplo. E o lugar de vídeos na internet, todos sabem, é o YouTube.

Uma limitação técnica do site permitia que quem não fosse parceiro oficial do site publicasse apenas gravações de no máximo 10 minutos. [Tirando aquela vez HISTÓRICA em que alguém teve a manha de colocar Curtindo a Vida Adoidado e outros clássicos da Sessão da Tarde completos com a dublagem original].

Agora eles aumentaram o limite para 15 minutos. Isso, você pode fazer um vlog e falar qualquer coisa agora por 15 minutos. [Não, sério, acho que isso vai ser bem importante para a produção audiovisual da década, a longo prazo.]

Para comemorar o YouTube lançou uma promo óbvia batizada “15 minutos de fama”. Faça um vídeo de 15 minutos falando sobre “o que você quer comunicar” ao mundo [paz!] coloque a tag “yt15minutes” e upload até 4 de agosto. Os melhores vão para a página inicial do YouTube e ganham 15 minutos de fama, acho.

O YouTube está realmente ajudando a realizar o futuro imaginado por Andy Warhol no futuro todos terão seus 15 minutos de fama.

Fonte: Revista Info

quarta-feira, 14 de julho de 2010

dicas uteis para usuários de PC´s

Não é possível fazer a Mallu Magalhães falar algo que faça sentido. Nem com chapinha o cabelo do Marcelo D2 fica liso. Mas é possível ensinar pequenas dicas aos usuários, de maneira que eles trabalhem melhor, economizem o tempo deles e do suporte e sejam pessoas mais felizes.

O custo da equipe de suporte não é simplesmente o salário que é pago no fim do mês. Equipamentos, softwares de gestão, ferramentas e horas trabalhadas também geram custo. Se o suporte é chamado excessivamente e sem necessidade, em determinado momento demandará uma equipe maior e mais custos para a empresa. Por isso, com pequenas dicas é possível tornar os usuários mais eficientes e menos “chorões”:

1) Sempre reinicie o computador antes de ligar para o suporte. Por mais que pareça uma técnica pra ganhar tempo ou simplesmente um migué do suporte (e é, em alguns casos), reiniciar o computador se mostra uma solução eficiente para a maioria dos problemas relatados pelos usuários. Isso funciona como work around, economiza tempo e horas de suporte, além de dar tempo para a equipe de suporte estudar a causa raiz do problema e criar uma solução definitiva;

2) Reportar corretamente o problema. Usuários possuem uma incrível habilidade para conviver com um determinado problema. Já vi um caso onde uma usuária mudou a posição da imagem do Desktop por engano, girando-o 90 graus para a esquerda. Ao invés de chamar o suporte, ela simplesmente girou o monitor e continuou trabalhando normalmente por meses. Com formulários ou um FAQ na Intranet os usuários podem se orientar melhor e saber exatamente como reportar o problema que estão sofrendo;

3) Manter senhas em segurança. Se sua senha é muito difícil mas você anota num post-it colado no monitor pra não esquecer, não adianta de nada. É sempre importante orientar os usuários a não revelarem suas senhas nem para colegas próximos. Uma bobagem feita com seu usuário é de sua responsabilidade;

4) Criar senhas difíceis. Complementar a dica anterior, é importante sempre utilizar senhas difíceis de serem descobertas para evitar problemas com seu usuário;

5) Ter cuidado ao utilizar recursos de TI em viagens. É importante ao levar notebooks, PDAs ou smartphones ter atenção redobrada para evitar acessos indevidos e mesmo furtos. Cuidados ao digitar senhas sem ninguém por perto ou deixar o computador logado e ausentar-se são práticas que devem ser evitadas;

6) Prevenir-se contra perda de dados. Backups não acontecem por mágica. Até David Coperfield está sujeito a perda de dados se não fizer backup. É fundamental orientar usuários sobre como fazer backup, utilizar unidades de rede para armazenamento de arquivos em servidores apropriados e como utilizar ferramentas de backup que estejam disponíveis no ambiente;

7) Respeitar a política de uso dos recursos. Isso significa que o seu desktop não é um MP3 player, não é o datacenter do Brasileirinhas nem uma filial da Blockbuster. Os arquivos armazenados devem ser estritamente para uso comercial, a internet deve ser utilizada com parcimônia, assim como o telefone e quaisquer recursos a disposição. Também não fale usar a impressora colorida para imprimir os escudinhos dos times do brasileirão nem a tabela dos jogos;

8) Utilizar o e-mail com moderação. Exatamente como no item anterior, evitar o excesso de uso no e-mail para fins não coorporativos. Sem powerpoints com musiquinha, sem pornografia, sem responder e-mails desnecessários. Quando você recebe um e-mail em cópia carbono, é apenas para ser informado. Nada de se envolver no assunto a não ser que seja estritamente necessário;

9) Proteger-se contra vírus, malwares, scams, etc. Nada de clicar onde não deve, evitar abrir e-mails suspeitos, utilizar pendrives suspeitos e compartilhar pastas no computador com acesso total;

10) Trate bem o pessoal do suporte. Eles são muito mais atenciosos se receberem elogios e lanchinhos constantemente; ;-)

Cobrar ou não cobrar? Eis a questão.

Um dilema que aflige 9 entre 10 profissionais da área de suporte quando fazem um serviço por fora é o de como, quando, onde, por que e quanto cobrar pelo serviço prestado. Eu mesmo, no início da carreira sofria muito com isso e tinha um enorme constrangimento de dizer o valor do serviço quando o cliente perguntava, ou de questionar sobre o pagamento quando ele não dizia nada.


Cobrar por um serviço realizado é a coisa mais natural do mundo. Não vejo ninguém trabalhando de graça por aí, fazendo as coisas por pura camaradagem. Eu não espero benevolência de ninguém quando solicito um serviço, portanto espero o mesmo em relação a mim quando presto um serviço de informática. Se a proatividade em relação ao pagamento por parte de quem recebeu o serviço não acontecer, eu dou um empurrãozinho e digo “foi tanto”, para evitar qualquer constrangimento.

É claro que há casos em que pode-se fazer o serviço de graça. Principalmente em relação a familiares. Não estou dizendo com esse artigo que você deve cobrar do seu pai caso conserte a impressora dele ou que você vai arrancar cinquentinha da sua tia avó por remover spywares da máquina dela. Tudo é uma questão de bom senso. Cada um tem os seus critérios pra definir quem merece ou não receber um suporte gratuito. Mas é preciso impor limites, senão vira uma bagunça. Perdi a conta de quantas ligações recebi em meu celular particular em pleno domingo na hora do fantástico ou numa segunda-feira as 7h da manhã.

Entao essas são as minhas dicas para que não haja constrangimento na hora de cobrar por um serviço de suporte. Lembre-se: não faça de graça o que você se preparou para fazer cobrando.

1) Defina o valor do serviço antecipadamente: um dos principais problemas para cobrar direito um serviço de suporte é chegar a um valor justo. Existem diversas opções para isso. Pode-se cobrar por hora ou por tipo de serviço por exemplo. Mas o mais importante é avisar ao cliente antes quanto custará determinado atendimento, para que ele não se surpreenda de maneira desagradável após a conclusão e hesite em pagar o que é justo. Caso o serviço inicial tenha que ser complementado com outros, informe que isso custará mais caso você resolva o outro problema. Aqui vale o ditado: o que é acertado não é caro;

2) Não faça de graça o que você se preparou para fazer cobrando: imagina só a raiva que um médico deve sentir quando alguém pede uma consultinha rápida na fila do supermercado? “É só uma dorzinha aqui, tem como você receitar algo?”. A pessoa passa 6 anos na faculdade e mais alguns na residência pra um conhecido qualquer, que as vezes nem é amigo pedir uma consulta grátis. Com suporte é a mesma coisa, não importa se você foi auto-didata, isso não desmerece o seu conhecimento. Se alguém pede uma consultoria rápida por telefone ou cara a cara diga que fica difícil diagnosticar o problema sem uma intervenção in-loco.

3) Tenha bom senso na hora de cobrar: isso é extremamente importante. A imagem dos profissionais de suporte é ruim por diversos motivos, mas esse é um dos principais. Aproveitando-se da falta de conhecimento dos usuários, o técnico de suporte aproveita e arranca muito mais dinheiro do que seria justo pelo serviço. Muitas vezes o usuário acha que o problema é grave, mas quando ocorre o atendimento vê-se que trata-se de algo bem simples. Nesses casos o mais adequado é dar um pequeno desconto (20 ou 30%) no valor acertado, já que o problema foi resolvido rapidamente e você acabou perdendo muito pouco tempo na solução, mas isso não é regra. Rápido ou devagar você resolveu o problema e dar esse desconto fica a seu critério. Se o usuário chiar dizendo que foi rápido demais, seja firme e diga que você foi contratado para resolver o problema e não para enrolar;

4) Seja objetivo no diagnóstico e solução: uma das coisas que mais irrita o usuário e gera uma má fama para a categoria é o embromation. Usuários podem não ter conhecimento grande em informática e tecnologia em geral, mas sabem quando alguém está enrolando. Seja claro ao explicar o problema e direto na hora de dizer o que deve ser feito para solucionar, pois isso dará segurança ao usuário e ele não se sentirá incomodado em pagar sabendo que alguém que sabe o que está fazendo resolveu o problema dele;

5) Valorize-se: profissionais de suporte são fundamentais no mundo de hoje, mas são muito mal remunerados e pouco valorizados. Isso ocorre em grande parte pela prostituição a qual a própria classe se submete. Fazendo serviços com má qualidade ou de graça só faz com que o valor de mercado do profissional de suporte seja jogado para níveis ridículos. Os usuários tendem a sempre dizer que a necessidade é urgente, caso de vida ou morte, etc. E muitos acabam ligando aos domingos a noite pedindo a solução pronta na segunda de manhã cedo. Para esses casos, procure saber o acordo sindical da sua região para hora extra. Se no domingo é 100%, cobre o dobro do valor pelo serviço. Se no sábado é 50%, adicione esse percentual ao valor do atendimento. Todo trabalhador merece ser remunerado de acordo, você não deve ser exceção;

6) Seja honesto: esse nem deveria valer como conselho. Honestidade é fundamental em todos os aspectos de nossa vida, mas o que se vê por aí é técnicos condenando placas-mãe que estão boas, forçando upgrades em máquinas que ainda atendem ao usuário e pior ainda, furtando equipamentos, pentes de memória, etc. Objetive conquistar o que você deseja com o suor do seu trabalho. Caminhos fáceis demais tendem a derrubar os que dele se aproveitam. Pense na revolta que você sentiria se fosse roubado por alguém que presta um serviço para você.

"Dicas para usuários: o que não fazer com o cara da TI"

1) Não tente explicar como resolver o problema. Se você soubesse não ligaria para ele;


2) Não ligue para ele e em seguida peça ‘2 minutinhos’. Se fizer isso, ele vai te pedir pra esperar 2 minutinhos e você vai esperar 2 meses;

3) Não peça ajuda no horário do almoço, a não ser que você ofereça um chocolate como sobremesa;

4) Não minta, dizendo que não fez a bobagem que causou o problema. Se você foi o responsável, fale a verdade. Mentir fará o problema demorar mais a ser resolvido e você pode acabar ficando sem MSN ’sem motivo aparente’;

5) Sugerir opções de solução para o problema é crime inafiançável. Idéias como “será que é o clima?”, “eu sabia que não devia ter apertado enter com tanta força” e afins são motivos de chacota na sala de TI.

6) Ficar xeretando ‘por cima do ombro’. Isso não é coisa que se faça em situação nenhuma da vida. É tão feio quanto encoxar a própria mãe no tanque;

7) Não ache que porque ele resolveu seu problema vocês viraram ‘amigos’. Se insinuar pra ganhar privilégios fará você perder as ínfimas regalias que já possui por opção da empresa;

8) Seu computador de casa está com defeito? Puxa, que pena, né?

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Como abrir duas ou mais instâncias do Windows Live Messenger

Nessa semana finalmente decidi aposentar meu endereço do Windows Live Messenger. Ele era gigante, cheio de sublinhados e foi criado há mais de 6 anos; já estava acumulando muito spam. Por causa disso, precisei abrir duas instâncias do programa para poder importar os contatos manualmente de um para outro. Eu sei que há uma opção automática, mas por algum motivo ela não funcionou. Alguns contatos sequer receberam o convite.

Acabei descobrindo uma coisa que pouca gente sabe: a partir da versão 2009 do Windows Messenger, a Microsoft passou a permitir que várias instâncias do programa fossem abertas. Antes isso só era possível com o uso de programas específicos para esse fim. Só que a opção de abrir dois ou mais Windows Live Messengers não está ativada por padrão, é preciso fazer algumas modificações no registro do Windows para que ele funcione. E essa dica vai mostrar como. Sigam-me os bons!

1. Vá no Menu Iniciar > Executar (tecla de atalho: Windows + R), digite regedit e dê Enter. Você abrirá o registro do Windows.

2. Se o seu Windows é de 32 bits, vá para a seguinte chave:

HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Microsoft\Windows Live\Messenger

Caso ele seja de 64 bits, vá para a seguinte chave do registro:

HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Wow6432Node\Microsoft\Windows Live\Messenger

3. No painel direito, clique com o botão direito em qualquer espaço em branco e selecione a opção Novo > Valor DWORD.

4. Renomeie essa entrada com MultipleInstances. Dê dois cliques nessa entrada e no campo Dados do valor, insira o número 1.